bull terrier adulto

Você conhece o cachorro Bull Terrier

A Origem da Raça Bull Terrier

O Bull Terrier atual se difere muito do Bull Terrier do século XIX em relação a sua geração. Antigamente, na Inglaterra, tinham muitos práticas esportivas de combate e caça para cães, por isso o propósito da concepção do Bull Terrier, este cachorro que é a combinação dos cães Bull e Terrier. A sua origem é capaz de ser relacionada a um sujeito chamado James Hinks, da cidade de Birmingham (Inglaterra), que, depois de vários anos de experimentações, exibiu este espécime na década de 1850.
Com o propósito de se achar um exímio cão para combates, ficou estabelecido naquele tempo mesclar com o Dálmata, logo criou-se o Bull Terrier que conhecemos. A disputa entre cachorros e também entre cães e touros, era bastante comum na Grã-Bretanha de antigamente, ainda mesmo após a sua interdição naquele território.
Para assimilar a criação dessa raça (que pode ser tida como a transformação das mesclagens entre Bulldogs, English White Terriers e Dálmatas) é importante saber que os antigos Bulldogs que lhe originaram são descendentes dos cães molossos – habitualmente usados para encarar bichos de largo porte das mais diferentes linhagens.
Derivados a partir de espécies de espécimes aterrorizadores, poderosos e violentos, os Bulldogs antigos foram criados como lutadores – e foi por este propósito que esta foi uma das raças colocadas para pretender dar origem ao cão de luta ideal, que acabou se tornando o Bull Terrier depois de uma outra sequência de mesclas.

Características do Bull Terrier

O Bull Terrier é uma raça disciplinada, muito paciente perante a disciplina. É um cão de constituição resistente, atinado e equilibrado. Sua mandíbula é extremamente resistente e volumosa, sua cabeça não possui contornos ou buracos, além de sua cabeça ser longa, resistente e volumosa. Seus olhos são aprofundados, estreitos e amendoados, com olhar intenso. As suas orelhas são eretas, relativamente estreitas e próximas entre si.
O dorso do Bull Terrier é muito redondo, com evidente arqueamento das costelas e enorme profundidade da cernelha ao esterno, de tal maneira que esse esteja mais próximo do chão. A cauda da raça não costuma ser estreita, de inserção não tão alta.
Sua pelagem é muito curta, espessa e sensível na ocasião em que tocada. O Bull Terrier mais habitual é esbranquiçado, por inteiro ou com algumas marcas pigmentadas. E há o Bull Terrier plenamente pigmentado, com ínfimas partes brancas.

Como tomar conta de um Bull Terrier

Você necessita de distraí-lo com exercícios que incentivem sua mentalidade. Deixe o cão em um local resguardado, no entanto ele adora movimentar-se muito. Ele não precisa permanecer ao ar livre, todavia achando-se dentro de casa, com acesso ao jardim.
Embora o Bull Terrier seja mais dócil, meigo e sereno, é fundamental que você faça de uma maneira que ele brinque e gaste sua energia para não deprimi-lo, seja com você ou com as pessoas ao seu redor. Caso ele não gaste toda a intensidade que tem acumulada, ele pode se tornar bem mais ameaçador e irritado, e isso se deve a maneira como foi feito, sendo visto como um espécime de lutas.
Se você reside em prédios ou locais bastante pequenos, nem tenha em mente possuir um Bull Terrier, eles têm necessidade de muito espaço. Para essa raça que tem necessidade de gastar muita energia, um local maior é o recomendado, embora haja pessoas que têm este cão mesmo residindo em pequenas habitações. Caso esse seja o seu caso, entenda que você tem que fazer com que ele faça inúmeras atividades físicas com o intuito de prevenir futuras complicações.
Os cuidados com os pelos são pequenos.

A Superioridade da raça Bull Terrier

O Bull Terrier não é um cachorro para todo mundo, porém aqueles que pegam um Bull Terrier se perceberão agraciados por causa dos aspectos positivos desta espécie. A individualidade é, com certeza, o sinal mais distinto desses cães. Este espécime o seguirá até o último momento da sua vida, sendo bem fiel a você e sua família. Ao passear com este cachorro, perceba que ele é bem curioso, analisando todo lugar a sua volta e se entretendo concomitantemente.
Tudo que você der ao Bull Terrier, seja um bichinho de mentira ou uma bolinha, ele irá cheirar, entreter-se por um tempo e, logo após, vai destruir em questão de segundos. Sem instrumentos para brincar, o Bull Terrier é, com certeza, engenhoso o bastante para se manter atarefado. Esta raça, exatamente como as demais, adora estar fazendo alguma coisa a todo momento, principalmente brincar.

Problemas que mais ocorrem no Bull Terrier

Mesmo que seja, no geral, uma raça bastante saudável, doenças vinculadas a hérnias e à pele são capazes de acontecer nos cachorros da espécie, que inclusive inclinam-se a ser lesados por distúrbios de acne e até acrodermatite, uma séria moléstia que alcança os cachorros inclusive bebês e provoca desde a pelagem enfraquecida até o ressecamento dos coxins e lesões nas mais diversas áreas do corpo do cão.
Um dos grandes problemas da espécie é a surdez, de um ou ambos ouvidos. Julgava-se que esse problema era por causa da cor branca do cão, por isso terem sido gerados cães mais coloridos.
Se você gosta de cachorros mais servis, é melhor pensar duas vezes antes de adquiri-lo, porém, caso você queira um cão próativo, esse é o adequado. O mais indicado é que você seja um proprietário de cães mais treinado, porque esta raça não é sugerida a pessoas que estão querendo possuir um cãozinho pela primeira vez. A sua personalidade não permite que o indivíduo seja iniciante no assunto.
Este cão é bem resistente ao treino, por causa disso ele leva mais tempo para compreender em relação aos outros. Com pessoas diferentes, ele não costuma ser hostil, como também não é festeiro, desde que seja sociabilizado o mais cedo possível.

Filhotinhos de Bull Terrier

Exatamente como os cães maduros, os filhotinhos são também uma fonte de vitalidade e carecem de exercícios e de acompanhamento porque, como parecem estar constantemente caçando alguma coisa para fazer, caso sejam deixados solitários por longos períodos, podem ser bastante destruidores. Eles inclusive necessitam ser acompanhados o tempo todo. Deixá-los isolados pode causar bastante arrependimento posteriormente.
A pelagem deste cão é bem estreita e não carece de cuidados extremos. Se você habita num apartamento, medite bem: uma vez que será capital ajudá-lo a consumir a energia de variadas formas.
O estágio de hostilidade e de amor de um bicho está totalmente conectado com o modo de ensino e atenção que ele recebe por parte da sua família e, consequentemente, o Bull Terrier que ganhar bastante afeto e compreender comandos de adestramento e obediência o quanto antes esporadicamente vai ser um cachorro nervoso.
E esse estilo de atitude meiga e de obediência tem que ser sempre favorecida, dado que a potência do maxilar (e, portanto, da bocada) de um cachorro da raça é capaz de ser extremamente elevada – confrontada, também, com a dos Pit Bulls – fazendo com que os infortúnios com um cão Bull Terrier sejam muito delicados do que os ocorridos com a grande parcela das outras espécies famosas.

Fatos interessantes sobre o Bull Terrier

Seu cachorro achará algo a fim de fazer e, se você estiver no recinto, o trabalho dele será te fazer rir. Ele ama fazer brincadeiras para você, assim se habitue a observá-lo saltando e divertindo-se sozinho, com o propósito de só fazer você alegrar-se. Caso você tenha demasiada energia, poderá entreter-se com ele por muitas horas.
Se essas habilidades atléticas não chamarem sua atenção, é aconselhável que tape os ouvidos. Ele irá obter uma forma de atrair a sua atenção. Eles irão fazer o que puder para conquistar o mínimo aceitável de atenção. Creia ou não: seu Bull tentará “falar” com você. Quando conseguir atrair a sua atenção, ele irá emitir algum tipo de código.
Seu dono irá agradar-se com isto, apesar que para alguns isto seja capaz de parecer exótico. No momento em que seu Bull Terrier está fora de casa e acha um pequeno pedaço de grama ou um canto de grama elevada e decide se abrigar, o cão irá andar lentamente abaixo do arbusto e logo após ficará totalmente silencioso.
Notando mais próximo irá poder observar o cachorro com um olhar enevoado, bem como se permanecesse em transe, enquanto que a ventania sopra delicadamente sobre os arbustos e lhe toca as costas. Em seguida a algum tempo, ele se erguerá, irá organizar o seu pelo e continuará a sua caminhada. E não é só com arbustos ou gramas naturais, com árvores natalinas inclusive já foi percebido este tipo de atitude, que também é demasiadamente inexplicável.