Veja o que é o SamuVet e seu benefício

Assim como os seres humanos, os espécimes também possuem seu próprio serviço de emergência. O SamuVet, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Veterinária, já é realidade em certas cidades brasileiras. A partir do Samu Veterinário , diversos animais de rua podem ser socorridos e terem suas vidas salvas.

Regiões como Florianópolis, Cachoeirinha (RS), Porto Alegre e Corumbá são algumas das localidades que já estão utilizando o serviço. O Samu Veterinário permite que os animais de rua possuam um atendimento ideal, assim como aqueles oferecidos por clínicas particulares.

Independentemente do alto gasto para preservar um serviço como este, as localidades já se acham abertas a utilizarem esse serviço, que não atende somente animais das vias públicas, como também bichos de famílias com baixa renda. Que excelente iniciativa, não é verdade? Tomara que mais regiões utilizem este serviço que é capaz de salvar inúmeras vidas de bichos.

Prossiga com a leitura a fim de que possa conhecer como essa iniciativa é tão essencial e, simultaneamente, formidável. Preparado?

O que é o Samu Veterinário

samu-veterinario Passar de moto por uma avenida e dar de cara com um acidente que deixou um cão ferido é uma lamentável constatação. Se não é possível resgatar o cão no próprio veículo e oferecer ajuda, an incerteza acerca do que fazer é enorme e angustiante.

Em determinadas cidades brasileiras, porém, é possível conseguir socorro acionando o SamuVet, um tipo de SAMU veterinário que, mediante atendimento móvel 24 horas, pode salvar a vida do bichinho desamparado. A primeira localidade a utilizar o sistema, em 2014, foi Florianópolis, no estado de Santa Catarina.

O modo de atividade do SamuVet, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Veterinária, varia de acordo com cada localidade que adotou o serviço. No entanto, em geral, a ajuda apenas pode ser requisitada por equipes próprias de resgate. A ajuda é capaz de ser operada pelo Corpo de Bombeiros, por Policiais Militares e pela Guarda Civil que se encontrar respondendo a alguma ocorrência que envolva um cão de rua.

Por ainda ser tido como um projeto de custo elevado, são limitadas as cidades do Brasil que podem contar com o socorro de animais de rua em emergência.

Campinas – Exemplo a ser copiado

Campinas lançou um serviço inovador em nosso território, o Samu Animal. Com ele, pode-se socorrer cachorros sem dono em situação de alto risco. O projeto tem uma ambulância equipada para o transportamento de bichos machucados por atropelo, maus-tratos ou os que estão perigosamente doentes por enfermidades.

O serviço é similar ao do Samu para pacientes humanos. Bem como o Samu usual, o Samu Veterinário adota o mesmo método de resgate e transporte que impede que os pacientes sofram traumas adicionais se não forem corretamente imobilizados durante o socorro.

Esse serviço pode ser acionado pelo 156 ou 199, na Defesa Civil, além do horário de expediente. Este serviço também pode ser usado nos finais de semana e dias não úteis.

Como diz Paulo Anselmo Nunes Felippe: “Nós começamos a perceber que existe uma ocorrência demasiadamente grande de atropelamento de bichos nas ruas de Campinas. A gente tem motorista, enfermeiro e o médico veterinário. Samu é uma Unidade de Tratamento Intensiva Móvel, com todas as ferramentas para a base de vida do animal”.

De que modo o resgate tem seu funcionamento

A ambulância dispõe de maca para a retirada, tubo de oxigênio e os demais equipamentos para um atendimento veloz. O automóvel faz os salvamentos por ordem do DPBEA. São em média quatro resgates diariamente.

A conjectura é de que Campinas tenha perto de vinte mil cachorros e gatos de rua. Isso de acordo com os critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS). Os animais salvos são levados para recuperação no Canil Municipal, em que prosseguem disponíveis para adoção, ou ONGs associadas.

“Chegando aqui, possuímos laboratórios contratados pela prefeitura para fazer radiologia e ultrassom. Aqui temos centro cirúrgico e 3 veterinários para efetuar todo o acompanhamento”, comenta o socorrista Josué Gomes.

“Socorremos praticamente 95% dos espécimes desamparados e vítimas de atropelamento com o Samu Animal”, afirma a veterinária Nayra Ribeiro de Novaes.

Boas notícias

Como era de se supor, várias outras cidades estão adotando os serviços do Samu Veterinário. Entre elas, podemos citar: Recife (PE), Osasco (SP), Campinas (SP) e Pouso Alegre (MG). Todas essas cidades já estão aprovando o programa em suas respectivas Câmaras.

As mulheres reconhecem os cachorros como filhos legítimos? Saiba mais aqui

Sabe aquela voz de criança que várias mulheres usam ao conversar com os cães? Querendo pôr vestimentas e objetos neles como se fossem uma criança? Existe uma explicação para tal fim! As mulheres vêem os cães como seus filhos .

Um apontamento efetuado pelo Massachusetts General Hospital comprovou o que todo mundo já imaginava. Por causa de algumas razões neurológicas as mulheres vêem os cães como seus filhos .

Isto deve esclarecer o fato de várias mulheres dialogarem com os animais, empregando uma voz distinta, semelhante às que fazem com os bebês.

Os apontamentos foram surpreendentes!

Mas e você, está de acordo com o que este apontamento diz?

Você trata seu cão ou qualquer outro bicho de estimação, como se se tratasse de um bebê?

Vejamos a seguir como foi efetuado este estudo e qual a conclusão que você leitor fará desta afirmativa!

Como foi descoberto que as mulheres vêem os cães como seus próprios filhos?

cao-filhote Um grupo de pesquisadores do Hospital Geral de Massachussetts, nos Estados Unidos, decidiu investigar se, sem contar o coração, o cérebro das mulheres vê os cães como seus filhos. Uma vez que se encontravam curiosas com essa relação estabelecida com os bichos domésticos.

“ Os bichos de estimação estão em um local único no coração e nas vidas de muitas pessoas. Há evidências incontestáveis de estudos clínicos e laboratoriais de que interagir com pets é capaz de ser saudável para o estado físico, social e emocional dos humanos ”.

Assim, alega Lori Palley, pesquisadora do Centro de Medicina Comparativa do hospital e coautora da pesquisa.

A médica mostra que inúmeros estudos predecessores notaram que coeficientes de neuro-hormônios, como a oxitocina, envolvidos no procedimento de conexão emotiva e elo materno, aumentam depois da relação com os pets.

“ Novas técnicas de imagem encontram-se nos ajudando a começar a compreender as bases neurobiológicas dessa interação, o que é bastante animador”, declara.

Como foi feito a pesquisa

Para dar prosseguimento ao estudo, quatorze mulheres mães de um filho entre 2 e 10 anos e proprietárias de um cachorro há mais de 2 anos foram convidadas a participar.

A pesquisa consistia de duas sessões.

No começo era realizada uma visita em suas residências. Nesta visita elas foram convidadas a responder um questionário sobre o seu relacionamento com o seu filho e o seu cachorro.

Mais tarde era feita uma ressonância magnética. Ao longo das sessões lhes foram reveladas fotos de seus filhos e seus cachorros, alternadas com fotos de cães e crianças desconhecidas.

Resultado – mulheres vêem os cachorros como seus filhos ou não?

Os apontamentos evidenciaram similaridades e diferenças. Elas se verificaram na maneira como fundamentais áreas do cérebro reagem à fotografia de um filho e de um cachorro.

Áreas previamente associadas a funções como emoção, recompensa, parentesco, processamento visual e relacionamento social tiveram ampliação de atividade na ocasião em que as participantes viram ambas as fotografias.

Contudo, uma região implicada na formação do vínculo mãe-filho se ativou apenas em resposta à fotografia da criança.

Enquanto que o giro fusiforme, implicado no reconhecimento facial e em outras funções de processamento visual, teve um resultado mais expressivo no momento em que as mulheres observavam a fotografia de seus cachorros.

Depois disso, posso questionar de novo: você assente com o que este estudo garante que mulheres vêem os cães como seus filhos?

Não tem como negar, não é verdade?